Investimento em tecnologia para soja deve ser uma prioridade na safra 2022/23

Artigos

21 Setembro 2022

Investimento em tecnologia para soja deve ser uma prioridade na safra 2022/23

Previsões indicam aumento de área plantada, mas custo de produção elevado desafia a gestão e requer manejo mais eficiente e busca por incremento de produtividade.

Os produtores estão se preparando para iniciar mais uma safra de soja, com o início da semeadura a partir de setembro, a depender do término do vazio sanitário em cada região produtora. Para ter sucesso na temporada, é importante que os agricultores estejam bem-informados sobre as atuais condições de mercado para aperfeiçoar a gestão do negócio. “Avaliamos que o momento é positivo. Os preços se mantêm acima da média histórica em razão da demanda global aquecida”, analisa Jeander Costa, gerente sênior de Trade Marketing da Sumitomo Chemical.

No entanto, é preciso ter cautela porque a economia global está sendo impactada pelas questões logísticas, guerra da Ucrânia, aumento de inflação e indícios de recessão. De modo geral, o cenário interno e internacional impõe muitos desafios. Apesar disso, até o presente momento, a expectativa é de que a temporada 2022/23 será favorável para os sojicultores.

Os preços das comodities, que são diretamente influenciados pelo câmbio, possuem viés positivo para rentabilidade do produtor brasileiro, já que o dólar valorizado implica em valores em reais mais elevados. Por outro lado, o dólar valorizado geralmente tende a majorar insumos importados, principalmente os fertilizantes. “O que pode mudar o jogo é a relação custo/produtividade, custo maior com incremento de produtividade resulta em balanço positivo, daí a importância de pensar em adoção de tecnologias que proporcionem incrementos na produtividade”, diz Costa.

Em especial, é preciso considerar que a alta dos combustíveis afeta o agronegócio, já que as operações agrícolas dependem do uso de máquinas e equipamentos que fazem uso de diesel. “O combustível é um componente importante no custo de produção que, juntamente com o custo com mão de obra, impactarão fortemente no custo de produção desta safra”, afirma Costa.

De acordo com estimativa do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o custo de produção da soja transgênica pode atingir R$ 7,58 mil por hectare*. Então, para fechar as contas no azul, o agricultor precisa ter mais planejamento operacional e financeiro, investindo em insumos que tragam o melhor custo-benefício para o negócio.

Custo de produção da Soja Transgênica

Custo de Produção da Soja Transgênica Imea - Sumitomo Chemical
*Fonte: Imea. Acesso em 16/08/2022.

Apesar da previsão de custo mais elevado, até o momento tudo indica que a sojicultura brasileira tem fôlego para crescer. Segundo levantamento da consultoria Safras & Mercado em julho, estima-se um aumento de 2,6% da área plantada com soja, totalizando 42,88 milhões de hectares cultivados com a oleaginosa na safra 2022/23. A colheita pode ultrapassar 150 milhões de toneladas de soja.

A produtividade média nacional também se destaca nas previsões otimistas, podendo avançar de 3.027 quilos para 3.550 quilos por hectare. O principal fator impulsionador de produtividade é a tecnologia empregada, em especial o investimento em genética de sementes e uso de defensivos químicos de ponta.Acredito que será uma safra remuneradora para o sojicultor. Mas o produtor vai ter que estar mais atento ao custo e à produtividade. O ideal é investir mais em tecnologia para colher mais”, orienta Costa.

Em um momento que a tecnologia se torna ainda mais essencial nas estratégias de negócio, a Sumitomo Chemical se destaca com a missão de inovar e auxiliar os produtores para que eles possam aperfeiçoar o manejo utilizando o mais eficiente mix de produtos agrícolas. A empresa oferece uma completa plataforma de soluções sustentáveis que englobam tratamento de sementes, herbicidas, fungicidas, inseticidas, acaricidas, biológicos, reguladores de crescimento e adjuvantes. “Temos um portifólio completo, eficaz, altamente inovador e sustentável para a busca de produtividades cada vez mais elevada”, informa Costa.

Também é preciso considerar a influência do clima, que poderá ser marcado pelo fenômeno La Niña durante a primeira safra de soja 2022/23. Em algumas regiões, o clima pode registrar umidade acima da média, o que favorece o surgimento de doenças fúngicas. Dessa forma, a dica é reforçar os cuidados para o manejo da ferrugem asiática. Leia mais: desafios para o controle de doenças fúngicas na soja.

Entre as soluções de destaque no portfólio da Sumitomo Chemical, os sojicultores podem contar com o Excalia Max™, uma poderosa e inovadora solução que protege o potencial produtivo da soja e a lucratividade do sojicultor. Excalia Max entrega um consistente controle da ferrugem, mancha alvo e doenças de final de ciclo através do seu modo de ação e sistemicidade, entregando eficácia superior, satisfação e confiança ao sojicultor”, afirma André Arnone, líder de fungicidas e da cultura da soja da Sumitomo Chemical.

Para melhorar o controle de plantas daninhas, a recomendação é investir em ZethaMaxx®, pré-emergente que oferece uma composição única no mercado para combater um amplo espectro de invasoras, de folhas largas e estreitas, com o diferencial de ser seletivo à cultura da soja, ou seja, não causa carryover nos cultivos posteriores.

Quer saber mais sobre as soluções da Sumitomo Chemical para a cultura da soja?